.:: Blog do Sigi Vilares ::. - - Notícia é aqui!

LEM Vento em Popa Janjar Futsal apresenta o novo reforço Índio Beque

Após jogar a liga nacional de 2013 pela equipe do Corinthians Paulista, André Demétrio, o Índio Beque, foi apresentado como ...

Leia mais
indio_beque3

Preso pela Polícia Militar após furtar notebook em hotel no Santa Cruz

Estou testando sitema de adinistração para o Blog do Sigivilares que em breve estará online, se assim Deus me permitir

Leia mais
7

Definidos locais e iniciada instalação do sistema de videomonitoramento de LEM

Estou testando o sitema para materia destaque do Blog Sigi Vilares

Leia mais
5
PUBLICIDADE

19/04/2014 123 0

[embedplusvideo height="350" width="710" editlink="http://bit.ly/1lyKPeF" standard="http://www.youtube.com/v/7Nqm-69mAdk?fs=1&vq=hd720" vars="ytid=7Nqm-69mAdk&width=690&height=380&start=&stop=13&rs=w&hd=1&autoplay=1&react=1&chapters=0&notes=13%7eClick+on+%27+Add%27+after+entering+text+here" id="ep2564" /]

Aconteceu na tarde desta quarta-feira, 16, uma assembleia realizada pela ASPRA (Associação dos Policiais e Bombeiros da Bahia) e associação APMO (Associação dos Policias Militares do Oeste da Bahia), na Câmara Municipal de Barreiras.Quem presidiu a assembleia foi o diretor e coordenador da ASPRA, Ailton Amorim, e o presidente da APMO, Sargento Berto, onde deixaram claro na reunião e na coletiva de imprensa que a greve não foi encabeçada pelas associações da Polícia Militar da Bahia, mas que as associações acataram o anseio dos policiais militares em fazer greve após uma assembleia geral.

 

Estiveram presentes, além dos policiais militares, agentes do Corpo de Bombeiros que reivindicaram melhorias salariais, vales transportes, paridade salarial entre os policiais na ativa e reserva, o art. 47 da Constituição Estadual que estabelece isonomia entre as carreiras do sistema de Segurança Pública, independência e emancipação do Corpo de Bombeiros, além de outras reivindicações junto ao governo do estado.

 

Não há previsão do término da greve, porém, os representantes das associações deixaram claro, que os 30% e até mais do efetivo como exige a lei, estão sendo supridos em Barreiras onde equipes da CIPE/CERRADO estão na cidade dando assistência a população, além de cinco equipes da Guarda Municipal, que na medida do possível, também está auxiliando na segurança aos barreirenses.

 



19/04/2014 12 0
UNEB e Mestrando em Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade - UFBA, Coordenador do Instituto Marias e Joanas

UNEB e Mestrando em Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade -
UFBA, Coordenador do Instituto Marias e Joanas

O diretor e coordenador da ASPRA, Ailton Amorim e o presidente da APMO, Sargento Berto

Aconteceu na tarde desta quarta-feira, 16, uma assembleia realizada pela ASPRA (Associação dos Policiais e Bombeiros da Bahia) e associação APMO (Associação dos Policias Militares do Oeste da Bahia), na Câmara Municipal de Barreiras.

Quem presidiu a assembleia foi o diretor e coordenador da ASPRA, Ailton Amorim, e o presidente da APMO, Sargento Berto, onde deixaram claro na reunião e na coletiva de imprensa que a greve não foi encabeçada pelas associações da Polícia Militar da Bahia, mas que as associações acataram o anseio dos policiais militares em fazer greve após uma assembleia geral.

Testando testando testando testando testando

Testando testando testando testando testando

Estiveram presentes, além dos policiais militares, agentes do Corpo de Bombeiros que reivindicaram melhorias salariais, vales transportes, paridade salarial entre os policiais na ativa e reserva, o art. 47 da Constituição Estadual que estabelece isonomia entre as carreiras do sistema de Segurança Pública, independência e emancipação do Corpo de Bombeiros, além de outras reivindicações junto ao governo do estado.

Não há previsão do término da greve, porém, os representantes das associações deixaram claro, que os 30% e até mais do efetivo como exige a lei, estão sendo supridos em Barreiras onde equipes da CIPE/CERRADO estão na cidade dando assistência a população, além de cinco equipes da Guarda Municipal, que na medida do possível, também está auxiliando na segurança aos barreirenses.

Uma das mais tradicionais lojas da cidade de LEM foi roubada durante a madrugada desta quarta-feira, 16.

Quatro bandidos chegaram à Loja Alla Z, localizada na Rua Ruy Barbosa, a bordo de um Ford KA. Dois deles ficaram no cruzamento coma Rua Paraíba. Os outros dois, armados, foram para a porta da loja. Eles atiram três vezes na porta de vidro até quebra-la. Logo após eles adentraram na loja e roubaram diversas peças de roupas.

Em seguida, eles entraram no veículo e fugiram. Câmeras de segurança gravaram toda a ação. As imagens vão ser entregues a polícia civil que também não trabalhou no dia de hoje



17/04/2014 63 0
O LEM Vento em Popa Janjar Futsal não tomou conhecimento da equipe de Itaberaba, dona da casa

O LEM Vento em Popa Janjar Futsal não tomou conhecimento da equipe de Itaberaba, dona da casa

 LEM Vento em Popa Janjar Futsal não tomou conhecimento da equipe de Itaberaba, dona da casa, e aplicou nesta terça-feira (15) uma sonora

goleada de 8 a 1 na final do 1ª Chapada Open de Futsal. A competição contou com a participação de quatro equipes: Itaberaba, Lençóis, Boa Vista do Tupim e o LEM Vento em Popa Janjar Futsal.

A partida começou movimentada e logo no começo do jogo o atual campeão baiano marcou seu primeiro gol. Aos 3 minutos Waguinho roubou a bola e em velocidade tocou para Indião, que driblou o beque e com toque de classe empurrou para o fundo do gol. Foi o início da goleada que ainda teve gols de Alan, Alex e Nattan, duas vezes, Jorginho uma vez. Jeferson descontou para o time da casa.

Aos 9 minutos saiu o gol mais lindo do jogo. Nattan girou e deixou o fixo caído em quadra, tirou o goleiro Carlos do lance e saiu para comemorar, arrancando aplausos da torcida adversária.

A equipe de Luís Eduardo Magalhães volta a quadra no domingo (20) contra o atual campeão Paraibano, o Brejo do Cruz. A partida acontecerá em Garanhuns, às 17h30, horário de Brasília, e será válida pela primeira divisão da Taça Brasil. O jogo terá transmissão ao vivo na TV LEM Vento em Popa Janjar Futsal através do link

http://bmesportes.com/tvlemventoempopajanjar.html



17/04/2014 12 0

greve_bank4

No mundo do trabalho nada é tão legítimo quanto a luta por melhorias em sua qualidade e aumento na percepção financeira, é o que lá atrás Marx já denunciava como a exploração da mão de obra do trabalhador e sua mais valia. Desse conceito mais geral tiramos uma norma, que para muitos se estende como princípio consuetudinário (aquele que é resultado dos

costumes de uma sociedade), que equilibra todas as lutas e movimentos reivindicatórios, como as greves, de modo socialmente aceitável e politicamente necessário.

Contando com suas especificidades, a greve dos trabalhadores da Polícia Militar da Bahia se enquadra nessa perspectiva e vai acontecer sempre que for preciso! Greve é sempre um processo político, qual o problema nisso? Qual o problema do policial militar lutar por seus direitos?

Ao tempo em que o entendimento sobre o Direito de greve, como inalienável (algo que não pode ser cedido), é pacífico para os defensores dos direitos humanos e dos trabalhadores, a extensão dessa prerrogativa constitucional se esbarra no vidro torpe dos resquícios do período de exceção, onde o regime de ordem era militar, hierarquizado e castrador de direitos. É neste ímpeto que se esconde a “fervura” do anseio da tropa militar.

É bem verdade que como todo e qualquer trabalhador a luta pela melhoria da qualidade do trabalho e o aumento no ganho real é tênue e necessária, porém a categoria em questão possui nuances que a diferencia em pautas e em impactos.

Neste último período o debate acerca do papel da polícia militar surgiu como importante agente de formulações que apontassem no caminho danecessidade em iniciar a desmilitarização. As manifestações de junho de 2013 foram responsáveis, para além de ecoar o grito pela melhoria nos serviços, por instrumentalizar o questionamento sobre que modelo de polícia é esse. Para os que preferem o acusatório deleite de reduzir o debate apenas à parte da violenta marcha policial pela garantia da “ordem pública”; este raciocínio certamente será conduzido a responsabilizar o sintoma, a violência em si, sem a coragem de ir mais a fundo na questãode enfrentar este modelo apodrecido de corporação.

A greve do Maranhão, da Bahia e tantas outras lutas feitas pela base da corporação não podem ser refletidas apenas como lutas por ganho salarial, tanto governo progressistas quanto a sociedade, precisam garantir apoio ao que transversaliza todo esse problema: a desmilitarização!

Quando uma tropa via entidades legítimas, negocia por meses (quase um ano!) os aspectos de remuneração e principalmente uma pauta extensa de propostas de modernização da categoria, é porque existe uma necessidade histórica, de mudar este modelo de gestão da segurança pública via Polícia Militar.

Pesquisas realizadas pelas entidades e organismos independentes apontam que mais de 70% da tropa não suporta mais este modelo de polícia equivocado. O professor e antropólogo Luiz Eduardo Soares, importanteespecialista e defensor da matéria, afirma que devemos lutar pela desmilitarização “porque já passou da hora de estender a transição democrática à segurança pública.” (2013)

A realidade interna da tropa vem tendo seu perfil transformado. A demanda com o aumento populacional empurra os governos à obrigatoriedade de aumentar o contingente, e mesmo que aquém do necessário, a década foi permeada com o ingresso de perfil com maior contestação, seja por estar submetido à vizinhança inóspita, ou por estar conduzido pela melhorqualificação acadêmica. O fato é que, como na época da casa grande,continua recebendo treinamento de capitães do mato, subordinada a um sistema de comando ultrapassado, autoritário e intolerante normatizado notempo da ditadura.

É um modelo que precisa ser sepultado pelas forças democráticas. O desproporcional grau de repressão que vimos em junho do ano anterior é o resultado de um método de treinamento de guerra, e na guerra você estabelece o inimigo, fixa o perímetro, ganha o território e aprende aconviver com os efeitos resultantes de cada ação.

É para reduzir os danos causados por esse modelo de segurança, por tentativa de adestramento, que toda movimentação reivindicatória mínima que seja, precisa de apoio popular de modo a alcançar caldo político suficiente para garantir o objetivo maior, a desmilitarização.

Negociações isoladas, tramitação no congresso, promessa de campanha, nada disso demonstrou o mínimo de confiança. Só a luta pode servir de trampolim para esse ganho, que para além de beneficiar os trabalhadores da segurança pública, beneficiará toda sociedade á medida em que transforma o potencial de segurança e equilibra a gestão democrática.

Sigamos firmes nas lutas por melhorias e salários, mas, sobretudo, lutando pela democratização da democracia como benefício coletivo de modo a que não precisemos repetir com governos retrógrados e a ter como declaração de gestores da polícia o disparate de em pleno momento de guerra civil, dizer que esta tudo bem!

Att. Dr. Ícaro Argôlo Advogado, Professor, Especialista em Gestão Pública – UNEB e Mestrando em Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade – UFBA, Coordenador do Instituto Marias e Joanas -Imjoa, e Membro daComissão de Direitos Humanos da OAB/BA.



03/04/2014 24 0

Após jogar a liga nacional de 2013 pela equipe do Corinthians Paulista, André Demétrio, o Índio Beque, foi apresentado como o mais novo reforço do time luiseduardense para a Taça Brasil de Futsal.

A apresentação aconteceu na noite de ontem, segunda feira, 01. Sem tempo a perde ele realizou o primeiro treino com o elenco na quadra Deoclécio Severino Ramos.




©sigivilares.com.br - 77 9810.9920 - contato@sigivilares.com.br Desenvolvido por: